Como instalar

From antiX Linux fan
This page is a translated version of the page How to install and the translation is 45% complete.

[NOTA: adaptação e simplificação do excelente guia disponível em inglês. Traduzido por PPC: https://www.antixforum.com/forums/topic/como-instalar-o-antix/]

The following guide was documented keeping in mind the installation of antiX-Base-64bit version, but is equally applicable to the installation and setup of both antiX Full and Base instances and for 32 and 64 bit computers. A person having knowledge of Debian and opting to install Core and Net editions, and building up from scratch, would probably not need this guide but still it can be used for reference.

Introduction

The name ‘antiX’ is written with the first alphabet ‘a’ being a small letter and the last alphabet ‘X’ being a capital letter. That is how it has been named and recognized.

antiX is a Linux distribution comparatively lightweight and suitable for older computers, while also providing cutting edge kernel and applications, as well as updates and additions via the apt-get package system and Debian-compatible repositories. Besides the standard LIVE release, other versions of antiX are available (base and core), allowing installations with even lower amounts of RAM, hard drive space, and overall hardware limitations. The goal of antiX is to provide a light, but fully functional and flexible free operating system for both newcomers and experienced users of Linux. antiX is set up using Debian Stable repositories by default. This allows users to keep their system up to date with regular upgrades.

Using apt-get or install and use aptitude (but keep to one) from the command line is recommended.

O antiX está disponível em quatro “sabores” tanto para 32 como para 64 bits:

Completo (“full”): instala uma gama completa de aplicações

Base (“base”): Permite ao utilizador escolher o seu próprio conjunto de aplicações.

Núcleo (“Core”): O utilizador terá o controlo completo sobre quais as aplicações a instalar.

Net (“Net”): A edição mínima.

As versões “Core” e “Net” permitem ao utilizador ter controlo total sobre a instalação, dando-lhe a oportunidade de construir o sistema quase do zero. Deve ter conhecimentos de Debian para instalar e configurar as versões Core & Net.

Synaptic application installer is available by default on the full version. It can be installed via package-installer available by default on Base version and from the Debian repositories in other versions.

antiX is based on Debian but is totally free of systemd. It comes with a custom kernel, its own custom scripts and repository to enhance user experience. antiX can be used as a rolling release distro ie you should be able to keep your applications up to date by regularly upgrading. If you wish you can enable the Debian testing or unstable repositories and live on the bleeding-edge! For those that prefer stability, keep to the Debian Stable/stretch repositories. For a nice and thorough discussion and understanding on making/not-making your antix the rolling release see this: https://www.antixforum.com/forums/topic/new-to-debian-and-antix-rolling-release-help/

Visit the antiX FAQ page for any further details on the antiX operating system and its working: https://download.tuxfamily.org/antix/docs-antiX-19/FAQ/index.html

Do not forget to check the “Remaster” and “Snapshot” sections on the FAQ page. You will need them very much after installation.

Requisitos do sistema

A página antiX FAQ dá as seguintes informações sobre os requisitos do sistema. antiX-core e antiX-net funcionarão com 128MB de RAM mais swap, mas não espere milagres!

192MB de RAM é o mínimo recomendado para o antiX. 256MB de RAM e acima é preferido especialmente para o antiX-full.

O antiX-full precisa de um disco rígido mínimo de 3,8GB. O antiX-base precisa de 2,6GB e o antiX-core precisa de 1,0GB. O antiX-net precisa de 0,7GB.

A maioria dos utilizadores deverá utilizar o antiX-full, uma vez que oferece uma experiência completa de “desktop” (ambiente de trabalho) tanto em computadores antigos como modernos.

Se tiver um desktop (computador de mesa) ou um laptop (computador portatil) muito antigo, com menos de 256MB de RAM (PII, PIII), ou se quiser um desktop com “o básico”, é provavelmente melhor usar o antiX-base.

Live USB/CD

O antiX também pode ser usado como CD de salvamento rápido, ou correr “Live” (“ao vivo”) numa pen USB, com ou sem armazenamento de ficheiros persistentes. Leia mais abaixo, sob o título “Persistência” para obter informações sobre “armazenamento de ficheiros/arquivos persistente”. Para detalhes sobre o primeiro ecrã do sistema Live, ver a secção “O PRIMEIRO ECRÃ DE BOOT do SISTEMA LIVE”.

Download

Descarregue a ‘imagem ISO antiX’ a partir do website: https://antixlinux.com

Enquanto descarrega a sua versão antiX requerida, certifique-se também de descarregar os ficheiros md5, sha256 e sig correspondentes para verificar a integridade da imagem ISO descarregada. Coloque todos estes ficheiros, incluindo a imagem ISO, na mesma pasta. Isto ajuda a verificar a integridade da imagem ISO descarregada.

Após o descarregamento, verifique a integridade da imagem ISO descarregada, conforme abaixo:

Verificação da integridade do ficheiro (Passo facultativo)

Verifique ou md5sum ou sha256sum.

O procedimento documentado abaixo pode funcionar num sistema Linux. No entanto, se estiver agora num sistema Windows, dei uma ligação abaixo onde o procedimento para verificar a integridade de um ficheiro ISO no Windows é dado.

https://forums.linuxmint.com/viewtopic.php?f=42&t=291093

Verificação da integridade de um ficheiro ISO em qualquer sistema Linux:

Encontre o caminho para a sua pasta de transferências. Se for para a pasta descarregada com a ajuda do gestor de ficheiros/arquivos SpaceFM (ou qualquer gestor de ficheiros/arquivos, dependendo do sistema operativo actual, o seu computador), o caminho para a pasta de transferências é dado na barra de endereço quando abre a pasta respectiva. Se o seu ficheiro/arquivo ISO for descarregado para a pasta ‘Downloads’, o caminho será ‘/home/seu nome de utilizador/Downloads’. Se tiver guardado o seu ficheiro ISO noutro lugar, será diferente.

Por exemplo, os nomes dos ficheiros que foram descarregados são os seguintes; (O seu pode ser diferente).

antiX-19.2.1_x64-base.iso.

antiX-19.2.1_x64-base.iso.md5

antiX-19.2.1_x64-base.iso.sha256

Não se esqueça que a primeira letra, o ‘a’ de ‘antiX’ é uma letra minúscula e a última letra ‘X’ está maiúscula.

Abra um terminal em modo “root” (Menu > Aplicações > Sistema > …) e vá para a pasta onde descarregou a ISO, digitando ‘cd’ seguido do caminho para a sua pasta no terminal, como se mostra abaixo;

cd /caminho para a sua pasta descarregada/antiX-19-2-1-x64-base

(Aqui dei o nome do ficheiro de exemplo. O seu pode ser diferente. Portanto, adapte para o nome do ficheiro que descarregou).

Agora está dentro da pasta que descarregou.

Verifying md5sum

Verifique o md5sum do ficheiro iso, digitando o comando no Terminal, como se mostra abaixo;

md5sum antiX-19.2.1_x64-base.iso

Não se esqueça de mudar para o nome do ficheiro que descarregou.

Como resposta irá receber um número, como se mostra abaixo (o seu pode ser diferente); (Não feche ainda o terminal).

53ec93c66f0ba7231f5a2aaf2fcb312b antiX-19.2.1_x64-base.iso

Verifique este número com o número incluído dentro do ficheiro antiX-19.2.1_x64-base.iso.md5. Ambos devem idênticos, caso contrário, a imagem que descarregou pode ter sido comprometida ou ter-se corrompido. Se isso acontecer, terá que a descarregar novamente.

Verifying sha256sum

A seguir, verifique o sha256sum do ficheiro ISO, como se mostra abaixo;

sha256sum antiX-19.2.1_x64-base.iso

Não se esqueça de mudar para o nome do ficheiro que descarregou.

Receberá um conjunto de números e letras, como se mostra abaixo (o seu pode ser diferente); (Não feche ainda o terminal).

1bdcd8c460bb7b0dd498588c6f459906e06eea24e2048f63815a14c6f54cb959 antiX-19.2.1_x64-base.iso

Verifique este ncódigo com o código dado dentro do ficheiro antiX-19.2.1_x64-base.iso.sha256. Ambos devem ser idênticos, caso contrário, a imagem descarregada pode ter sido comprometida ou ter ficado corrompida e terá que a descarregar novamente, de preferência a partir de um “mirror” diferente.

Minimize o Terminal.

Now verify the signature as follows.

Verificação de assinatura

Para verificar a assinatura digite o comando para importar a chave no terminal;

gpg --keyserver hkp://keys.gnupg.net --recv-keys 4A0C4F9C

E depois, no terminal da pasta ISO, aquela que minimizou, escreva este comando;

gpg --verify antiX-19.2.1_x64-base.iso.sig antiX-19.2.1_x64-base.iso

Mais uma vez, não se esqueça de mudar para o nome do ficheiro que descarregou.

O resultado seria semelhante a este;

gpg: Assinatura feita Dom 29 Mar 2020 08:52:05 PM IST gpg: usando a chave RSA 30AA418A0C723D937B50A986A80582E000067FDD gpg: Boa assinatura de "anticapitalista <[email protected]>" (desconhecido) gpg: AVISO: Esta chave não é certificada com uma assinatura de confiança! gpg: Não há qualquer indicação de que a assinatura pertença ao proprietário. Impressão digital da chave primária: 30AAA 418A 0C72 3D93 7B50 A986 A805 82E0 0006 7FDD

Se o procedimento acima falhar, faça isto:

Para verificar a assinatura digite primeiro o comando para importar a chave no terminal;

gpg --keyserver hkp://keys.gnupg.net --recv-keys B9B6375C 0679EE98 892C32F1

E depois no terminal da pasta ISO, aquela que minimizou, escreva este comando;

gpg --verify antiX-19.2.1_x64-base.iso.sig antiX-19.2.1_x64-base.iso

Mais uma vez, não se esqueça de mudar para o nome do ficheiro que descarregou.

O resultado seria semelhante a este; (ak@ak-RV509 ~)$ gpg --keyserver hkp://keys.gnupg.net --recv-keys B9B6375C 0679EE98 892C32F1 gpg: chave 13C74A22892C32F1: chave pública "Steven Pusser <[email protected]>" importada gpg: chave 70938C780679EE98: chave pública "Adrian <[email protected]>" importada gpg: chave 9B68A1E8B9B6375C: chave pública "Dolphin Oracle (mxlinux) <[email protected]>" importada gpg: Número total processado: 3 gpg: importado: 3 (ak@ak-RV509 ~)$ Feche este terminal recém-aberto.

Depois escreva o seguinte comando no terminal que minimizou, para verificar a assinatura:

gpg --verify antiX-19.2.1_x64-base.iso.sig

O resultado seria semelhante a este:

(ak@ak-RV509 antiX-19-2-1-x64-base)$ gpg --verify antiX-19.2.1_x64-base.iso.sig gpg: assumindo dados assinados em 'antiX-19.2.1_x64-base.iso'. gpg: Assinatura feita Domingo 29 Março 2020 08:52:05 PM IST gpg: usando a chave RSA 30AA418A0C723D937B50A986A80582E000067FDD gpg: Boa assinatura de "anticapitalista <[email protected]>" (desconhecido) gpg: AVISO: Esta chave não é certificada com uma assinatura de confiança! gpg: Não há qualquer indicação de que a assinatura pertença ao proprietário. Impressão digital da chave primária: 30AAA 418A 0C72 3D93 7B50 A986 A805 82E0 0006 7FDD (ak@ak-RV509 antiX-19-2-1-x64-base)$ O aviso nas últimas linhas está relacionado com a confiança que se deposita na chave de assinatura antiX. A imagem ISO continua correcta, e válida de acordo com a chave de assinatura antiX que descarregou.

Criação do dispositivo USB “Bootável” (de arranque)

É necessário um mínimo de 2GB de cartão SD ou unidade USB para proceder à instalação. Se deseja ter um dispositivo USB com persistência “ao vivo”, então necessitará de mais.

Pode criar um DVD “bootável”. É o mesmo procedimento para ambos os casos.

Agora crie o USB de arranque com a imagem ISO do antiX-19.2.1-x64-Base imagem ISO como indicado:

Para isso, precisa de um software chamado “USBMaker-git”. Ele está disponível na maioria das distribuições Linux, no instalador de pacotes. Instale-o se ainda não estiver instalado. Este procedimento pode ser feito em muitos softwares de fabrico Live USB que estão disponíveis em muitas distribuições Linux. Basta tentar e verificar qual funciona para si. Ou então pode criar o usb inicializável num sistema operativo antiX, se um estiver acessível a si. Existe um usb de arranque que foi criado pela equipa antiX, e é instalado por defeito no SO anitiX. Inicie-o a partir de Menu > Aplicações > antiX > “Live USB maker”. Se estiver no SO Windows, é sugerido e recomendado por especialistas o software “Rufus” USB.

Após lançar o “criador de disco USB”, siga as instruções simples que se seguem. O processo é semelhante na maioria dos fabricantes de USB. Estou a dar aqui o procedimento sobre o USBMaker-git.

Dispositivo

No topo, o dispositivo é a unidade USB que escolheu para criar o dispositivo de arranque, ou seja, o leitor de cartões e o cartão dentro dele. Para tal, será necessário um cartão sd de 2GB, no mínimo.

Esquema de partição

Deixe o esquema de partição como MBR se o computador que vai instalar for antigo com a configuração da BIOS. Se o computador for novo com a configuração UEFI, então escolhe o esquema GPT. Em seguida, escolha o sistema de ficheiros como FAT32.

Tamanho do cluster – por defeito.

Etiqueta do volume

Dê uma etiqueta de volume do seu agrado, de modo a poder reconhecer o que está dentro do cartão SD.

Imagem ISO

De seguida clicar no botão de 3 pontos. Navegue até à localização da ISO que descarregou. É isso mesmo. Clique em start. O seu USB de arranque será criado.

Definições da BIOS

A seguir tem de configurar o seu computador para arrancar a partir do seu USB de instalação. Para o fazer, tem de entrar na secção de configuração da BIOS do computador.

A maioria dos computadores não precisa desta configuração de BIOS para instalar um sistema operativo a partir de USB. Eles já estão configurados para arrancar a partir de USB primeiro. Portanto, primeiro tente ver se o seu computador inicializaria a partir de USB. Se não, configure então a BIOS para arrancar a partir de USB como primeira prioridade, como mencionado abaixo.

Para configurar a sua BIOS para arrancar a partir de USB, reinicie o seu computador, e imediatamente após ligar o computador, comece a premir, F2, F4 ou F8 ou podem também ser outras teclas. Cada computador tem uma chave diferente.

Uma vez no menu da BIOS, navegue até à secção “Boot” utilizando as teclas do cursor. Leia atentamente as instruções à direita. Definir a prioridade de arranque a partir de “USB” como a opção mais alta ou a primeira opção, depois a unidade de CD/DVD e depois o disco rígido. Guardar as alterações e saia. Será automaticamente inicializado na sua instalação Live USB. Terá um menu de arranque. Seleccione o sistema operativo antiX e prima enter.

O primeiro ecrã de arranque do sistema "live"

Quando o primeiro ecrã do sistema “Live” surge, encontrará várias opções com as teclas “F” para facilitar o arranque em qualquer hardware. Não há necessidade de se assustar ao ver tantas opções. As coisas são muito fáceis se seguir apenas uma dica, ou seja, se não entender nada, deixe as coisas como estão, excepto fazer algumas coisas básicas sugeridas abaixo. Mesmo que não defina nada aqui, terá a oportunidade quando arrancar para o sistema Live e mesmo depois de instalar. Portanto, não precisa de se preocupar com nada. Pode limitar-se a coisas básicas como linguagem e zona horária. Se precisar de mais detalhes, prima F1. Se achar que são necessárias mais explicações, vá para o link abaixo que explica tudo neste ecrã em detalhe;

https://download.tuxfamily.org/antix/docs-antiX-19/Boot_Menu/antiX-gfxboot.html

Defina a sua língua através da tecla F2.

Para definir o fuso horário, use F3.

Use F6 para definir o ambiente de trabalho. Se estiver confuso, basta deixá-lo como está. Obterá a combinação padrão “ROX-IceWM”. Pode alterá-lo mais tarde. Se tiver menos de 128MB de RAM, e quiser testar o antiX ao vivo, escolha uma das opções min- via tecla F6.

Pode actualizar a base de dados do sistema (update), actualizar (upgrade) e instalar aplicações durante a sessão em directo, elas serão “transportadas” para a instalação real no disco rígido. Pode configurar a Internet mesmo em modo “Live”, os seus dados (por exemplo, sobre a rede Wi-fi) Serão transportados para a instalação real.

Se desejar criar uma instância “persistente”, veja a secção abaixo. Se não, depois de configurar tudo, para entrar a seguir, no sistema live, seleccione para arrancar na versão antiX que descarregou e criou o USB/CD Live e carregue em enter. (É a primeira escolha e já está seleccionada por defeito).

Persistència

A persistência é um híbrido entre um LiveCD/USB e uma instalação completa. Uma das belezas de um LiveCD é que permite arrancar o Linux sem tocar em qualquer disco rígido para que possa ter um “test-drive” sem medo de alterar o seu sistema actual. Outra característica de um LiveCD é que, uma vez queimado, é quase impossível que seja infectado com um vírus ou um cavalo de Tróia. Cada vez que o arranca, começa com um sistema limpo e imaculado. A persistência dá-lhe uma forma de se lembrar das coisas entre botas. Para o fazer, necessita de acesso a um dispositivo de leitura-escrita, tipicamente um disco rígido ou uma pen drive USB.

Para detalhes completos sobre persistência visite a seguinte página no site antiX FAQ (em inglês):

https://download.tuxfamily.org/antix/docs-antiX-17/FAQ/persistence.html

Particionamento do Disco Rígido

Esta é a parte mais importante. Se for utilizar todo o disco rígido e este estiver vazio, então não há problema. Se tiver algumas partições nas quais existam dados, terá de ter cuidado. Se cometer o menor erro, os seus dados no disco rígido podem ficar corrompidos ou ser apagados. Portanto, faça uma cópia de segurança do seu HD. Passe por este processo com muita cautela. Tome as medidas apenas quando tiver a certeza suficiente. Recomendo que procure na web e veja alguns tutoriais em vídeo ou leia alguns websites sobre “como utilizar o Gparted para fazer partições”, antes de prosseguir.

Embora seja possível criar partições durante a instalação, é prefirivel criar partições antes da instalação, em vez de o fazer no meio do processo de instalação. Use Gparted para o fazer. Se se sentir à vontade para o fazer durante a instalação, não se preocupe. É um processo guiado. Pode fazer o que preferir.

Os ficheiros do SO Linux são armazenados numa partição chamada como partição raiz (/), que guarda todos os ficheiros do sistema. Deve ser formatado de preferência como ext4 e montado em /.

O SO Linux armazena os ficheiros do utilizador como, Documentos, Downloads, Vídeos, Música, etc, num directório chamado directório /home (a barra ‘/’ é para root e a pasta ‘home’ que alberga a, Documentos, Downloads, Vídeos, Música, etc, é colocada dentro da partição raiz). Todas as definições e configurações do utilizador são também colocadas nesta pasta /home como pastas ocultas.

Deve ser formatada de preferência como “ext4” e montada em “/home”.

Alguns utilizadores preferem manter esta pasta “/home” numa partição separada. Ou pode escolher não ter uma partição separada para home e optar por mantê-la como directória (pasta) na raiz. Tem a opção de o fazer durante o processo de instalação. Pode fazer o que preferir. Se optar por mantê-la como directória na raiz, não deve criar agora a partição “/home”. Na realidade, o SO Linux NÃO precisa de uma partição /home separada. A /home só é necessária no caso de não querer que os ficheiros do utilizador sejam armazenados na partição /root ou se quiser um utilizador acessível a partir de diferentes sistemas instalados (arranque múltiplo). A razão pela qual algumas pessoas preferem ter uma partição separada é, no caso de destruírem o seu sistema e terem de ir para uma reinstalação, não perderão o que está na sua partição “home” separada. Portanto, a escolha é sua. Durante a instalação, pode especificar a /home para estar dentro da raiz ou como uma partição separada.

O SO Linux necessita opcionalmente de uma partição chamada Swap para memória quando a sua RAM ficar toda preenchida. Deve ser formatada como swap. Se estiver com pouca RAM, irá beneficiar de ter uma partição swap. (Poderá não é necessária.)

Escolha cerca de 10 a 15GB de espaço para ‘root’, dependendo do tipo e tamanho das aplicações que vai utilizar. Depois, se estiver a criar uma partição Swap, dê-lhe 1,5 vezes o tamanho da sua RAM (se a sua RAM for 3GB, a sua Swap deverá ser 3×1,5=4,5GB). E mantenha o resto do espaço para “/home”.

Se optar por fazer as partições durante a instalação, o procedimento é quase o mesmo. O Dolphin Oracle fez um vídeo sobre isso.

Instalação do Sistema Operativo

A maior parte do processo de instalação é automatizado. No entanto, antes de proceder à instalação, é necessário configurar a ligação à Internet.

Iniciar a ligação à Internet

Estabelecer a ligação à Internet Wi-Fi: Utilizar o ícone de Ligação de Internet, as duas setas, na parte inferior direita, junto ao relógio, para a configurar. Clique com o botão direito nas duas setas, e clique com o botão esquerdo do rato em “WiFi” para o ligar. De seguida clique com o botão esquerdo do rato no ícone de Ligação de Internet e mantenha-o premido. Deverá aparecer uma lista das redes WiFi disponíveis. Aguarde alguns segundos para preencher a lista. Mova-se para a que pretende e depois solte o botão esquerdo do seu rato. Deve aparecer o aviso de palavra-passe (“passphrase”). Introduza-a e clique em “aplicar”( Apply). Deverá ver algumas barras verticais amarelas e vermelhas no monitor da rede WiFi à direita, junto ao relógio, e o pequeno x ao lado das setas no ícone do Connection-manager irá desaparecer. Se tiver alguma dificuldade, pode ver este vídeo aqui –https://www.antiXforum.com/forums/topic/wifi-with-connman-antiX-19-2/

Se tiver uma ligação Ethernet, basta ligar o cabo Ethernet a partir do seu modem, introduzir a palavra-passe de utilizador que lhe foi dada pelo seu fornecedor de serviços de Internet, se for necessário.

Se não conseguir ligar-se nem ao WiFi nem à Ethernet, basta ligar o seu telefone com um cabo de dados USB e escolher as opções de ligação no seu telefone. Os seus dados devem estar ligados. A ligação será fácil. Deve estar ciente de que, a primeira actualização & actualização consumirá cerca de 400 MB de dados mais quaisquer aplicações que instale manualmente.

Actualização da base de dados (update) e actualização do sistema (upgrade)

Agora actualize o sistema com os seguintes comandos, no terminal. Também pode usar o antiX Updater (Menu > Aplicações > antiX > antiX Updater) que faz ambos os passos num único programa GUI.

sudo apt-get update

Carregue em enter e escreva a sua palavra-passe quando lhe for pedido e carregue em enter. A palavra-passe predefinida no antiX Live USB é ‘demo’. [Para acesso root, a palavra-passe é ‘root’. Por favor, não faça o login como root. É totalmente desnecessário]. A sua palavra-passe não será exibida no ecrã. Basta escrevê-la correctamente e pressionar enter cegamente. Após a actualização estar completa, escreva o seguinte no terminal e carregue em enter;

sudo apt-get upgrade

Escolha as partições

No ambiente de trabalho existe um atalho para iniciar o processo de instalação. Faça um único clique sobre ele. Lembre-se, um duplo clique trará uma notificação de erro. Está no ROX-IceWM, pelo que um simples clique é o que precisa para iniciar as aplicações. Contudo, se precisar da opção de duplo clique, pode fazer o seguinte.

Menu > Aplicações > Sistema > Rox Filer > Clique com o botão direito do rato em qualquer espaço vazio dentro do gestor de ficheiros > Opções > Janelas de filtragem > Desactivar “Navegação com o botão direito do rato”.

A seguir, escolha as partições, se já tiver criado as partições. Se não tiver o processo guiado irá levá-lo a cabo.

Durante a instalação, a escolha das partições correctas é um assunto sério. Essas partições são formatadas antes da instalação por parte do instalador. Mesmo se optar por não formatar a partição /home, deve formatar a partição /root. Por isso, tem de escolher as partições correctas. Se escolher outra coisa por engano, os seus dados nessa partição serão apagados.

Definir idioma e fuso horário e nome de utilizador

Durante o processo de instalação, clique nos botões seguintes para configurar a sua hora, data, fuso horário, teclado, nome de utilizador, palavra-passe, etc. Não há necessidade de se apressar, o processo de instalação aguardará até que tenha terminado de o fazer. É tudo. O resto será tratado pelo instalador USB.

Após a instalação, desligue o computador, retire o USB e inicie o computador. Será inicializado no novo sistema operativo antiX.

Setting up the new antiX OS

Once you boot into the new OS, the first step is to update and upgrade, if you have not done it in the Live USB stick before installation. Follow the same procedure as given above.

You are automatically connected to the internet using your earlier setup during installation.

Restart. It is always good to restart once after large system wide updates, upgrades or installations. You may not do this for small individual package installations.

Package Installer

Then open the package installer (The shopping bag icon) from the left bottom of the desktop. Select the applications you would like to install. Don’t forget to select “Synaptic” from Package-Management drop-down list. You will need this to install packages from several repositories.

After installation, restart.

Synaptic package Manager

Now open the ‘Synaptic package Manager’ from the Menu > Applications > System

In the package manager go to;

Settings > Preferences > General > Select/enable ‘Consider recommended packages as dependencies’ > Apply & OK.

Next, search and select from the following packages, which you may find necessary for your daily work. The below list shows the most common applications used by the home user. If you need anything else, search and select, ‘mark for installation’. Though by default, antiX-Base and antiX-Full have almost all the necessary packages, I am just giving a hint to get your system ready to do all the tasks a home user would do. Omit if you have already installed from the Package Installer. If you are installing antiX Full, you will find some of the packages mentioned already installed.

Audacity – (To edit audio files.)

Catfish – (This is a good file searching software. There is a default SpaceFM search, if it is OK for you.)

Chromium – (Browser. You have the Firefox-esr by default.)

Gdebi – (To install debian packages.)

GIMP – (For editing images)

Gnome Disks Utility – (You may need it to create mount options for your other external partitions)

Ibus – (This is necessary to do typing in regional languages.) Ensure all the following dependencies are installed. You must configure Ibus by starting Ibus from Preferences > Yes > OK > The IBUS preferences box will open. If it doesn’t you should start by right clicking on the icon in your right tray > Preferences > Input method > Add > Select your language. > Add. You will then have to copy and place your language ‘Fonts’ folder by downloading from the web, inside the /usr/share/fonts/truetype/. And then configure LibreOfficeWriter by going to > Tools → Options → Language settings → Languages Check Enabled for Complex Text Layout(CTL) and Choose your language in Default languages for Documents (CTL).

You may need to install the following ibus dependencies depending upon your language. Verify it from the web.

ibus-m17n

ibus-table-extraphrase

ibus-gtk

ibus-gtk3

ibus-qt4 (Ignore this if it is not available on the repositories.)

ibus-table

ibus-clutter

Kolourpaint – (Like MS paint)

Libreoffice – (MS Office like package)

Media Info gui- (To extract technical information of video files.)

VLC – (Video/Audio player)

Vnstat – (Command line Interface to extract Internet traffic information)

gnome-Screenshot – (To take screenshots. There is a default screenshot app, if it is OK with you.)

Virtualbox – (For creating Virtual machines.)

Zim – (This is a note making software.)

Avidemux – (To edit video files. Install if you do this kind of work.)

There is no Debian package for Avidemux application. There is a thing called AppImage. AppImage is a format for distributing portable software on Linux without needing superuser permissions to install the application. It contains an app and all the files the app needs to run.

You can download the latest Avidemux package here: http://avidemux.sourceforge.net/download.html.

If you want Tor Browser, you can see this (https://www.antiXforum.com/forums/topic/tor-browser-installation-signature-verification-failed/) link for a manual to do it.

These packages are enough for day to day functions. Select ones that you need and click apply. After finishing, restart.

Now that all packages have been installed, you can customize the Desktop and other settings.

Changing the default settings

An important information, before you go for changing the default settings:

It is preferred and recommended that you use the OS as it comes. However, every person has different requirements. The default applications shown in the panel to the left & right bottoms, could be subjectively appropriate for you or not. Like if you often switch between workspaces, having the workspaces on the toolbar really helps. If you do not, it simply holds space that can be given to other applications that you use every now and then. Similarly, other applications displayed on the toolbar. If you feel, it helps to keep some of the most often used applications there and remove the ones you use less often, you can do so by the following method. Here I will take certain examples and change accordingly. The same procedure applies to any application. You can follow that to your liking. However there is a caveat here;

Any change in the default settings, will be overwritten and return to default settings, if in future you install/upgrade/remove any program using the Synaptic, because of the special hook in apt. So whenever you do so, you will have to repeat these changes.

Keep that in mind.

If you do not want any changes to the default system, you skip these steps and directly jump to, USER SETTINGS, below.

Desktop right-bottom tray

If you don’t like the ‘CPU status’ and ‘Memory status’ (There is already Conky on the desktop doing almost the same thing. If you want to disable Conky and keep these, see below.) in the right-bottom tray and the ‘Workspaces switching buttons’ in Left-bottom, you can remove them by doing as below. Workspaces can be accessed with Control+Alt+right/left arrow mark keys alternatively.

Open the ‘Control center’ from the Menu. In the Control-center > Desktop > Edit IceWM settings > Preferences

The text editor will open.

Click on ‘preferences’. (Whatever you edit here, will take effect only after a fresh ‘logon’.)

Search for ‘# Show RAM usage in CPU status tool tip

# CPUStatusShowRamUsage=1 # 0/1’ in the search box given above. Change 1 to 0, like this ‘TaskBarShowCPUStatus=0’.

Search for ‘# Show CPU status on task bar

TaskBarShowCPUStatus=1 # 0/1’ in the search box given above. Change 1 to 0, like this ‘TaskBarShowCPUStatus=0’.

Search for ‘# Show memory usage status on task bar (Linux only)

TaskBarShowMEMStatus=1 # 0/1’ in the search box given above. Change 1 to 0, like this ‘TaskBarShowMEMStatus=0’.

Search for ‘# Show workspace switching buttons on task bar

TaskBarShowWorkspaces=1 # 0/1’ in the search box given above. Change 1 to 0, like this ‘TaskBarShowWorkspaces=0’

Don’t close the text editor, yet.

Desktop left-bottom

Next if you don’t like the default applications given in the left-bottom. Instead, if you want Terminal, Notes (a note keeping software), Leafpad (Notepad equivalent), Calculator, Screenshot, Firefox, Chromium, ‘SpaceFM-File Manager’ and Unplug Removable Device. To change the current set and bring yours there in place of them, do as below.

In the same the text editor, click on ‘toolbar’. There is a list of apps there. The scheme of the settings is;

prog “app-name-to-be-displayed” path-to-app-icon app-executable

Just add a ‘#’ before those applications which you don’t want in the left-bottom of your desktop. And add any new ones you want to be shown there. I have added some and hashed out some. You can take this as an example and change it according to your requirement. The final edited set looks as below.

### Commonly used applications

prog “Terminal” terminal.png roxterm

prog “Notes” zim.png zim

prog “Leafpad” leafpad.png leafpad

prog “Calculator” galculator.png galculator

prog “Firefox” firefox.png firefox

prog “Chromium” chromium.png chromium

prog “File Manager” spacefm.png spacefm

prog “Unplug Removable Device” /usr/share/icons/papirus-antiX/48×48/devices/drive-removable-media-usb.png unplugdrive.sh

#prog “Software Installer” /usr/share/icons/papirus-antiX/48×48/apps/packageinstaller.png su-to-root -X -c packageinstaller

#prog “File Manager” /usr/share/icons/papirus-antiX/48×48/apps/file-manager.png desktop-defaults-run -fm

#prog “File Manager as root” /usr/share/icons/papirus-antiX/48×48/places/folder-red.png su-to-root -X -c rox

#prog “Web Browser” /usr/share/icons/papirus-antiX/48×48/apps/web-browser.png desktop-defaults-run -b

The path to the app icons need not be shown. The system knows where those are placed. Sometimes the system may fail to locate icons. If that occurs you have to find the icon and show the path to that icon here.

Conky disabling

There is the ‘conky’ (system resource details displayer) placed on the right-top of the desktop. If you want you can keep it. If you want to toggle between on/off in a session but keep it getting launched at startup, you can do so by going to;

Mwnu > Desktop > Conky On/Off

However, if you want to permanently stop it from launching at start up, this is how you do it.

Open ‘control-center’. Session > User Desktop session.

A text editor will open. Click on ‘desktop-session.conf’. Search for LOAD_CONKY=”true”. Change it to false like this;

LOAD_CONKY=”false”.

Conky will not be displayed after a fresh logon.

Now close the editor and the control-center and logoff and logon. All your changes must take effect. If they don’t, you have done something wrong or you need to show the paths. Re-edit and check. You can even copy from the above list given by me here, under ‘### Commonly used applications’, and paste in the toolbar.

Menu updating – system

Now after installation of applications from the Synaptic or from outside the repositories, if any of the apps are not shown in the Menu, do the following. Any change in the default settings you do by this method, will be overwritten and return to default settings, if in future you install/upgrade/remove any program using the Synaptic, because of the special hook in apt. So whenever you do so, you will have to repeat these steps.

Updating the Menu using the Control-center;

Menu > Control-center > Maintenance > Menu editor

In the box that opens;

Applications > Show > A list is opened > Choose the App that you want displayed in the Menu > OK > Refresh > OK > Close control center

Menu updating – manual

If the above mentioned method fails, do the following.

However, before following the below mentioned procedure, it is recommended using the “Refresh Menu” (It’s on the Menu list) or the command “desktop-menu –write-out-global” if your applications was installed manually (after installing with gdebi, for example). If this doesn’t work for you do the following.

Open the ‘Rox filer’ file manager from the Menu > System, inside the /home/your-username/ folder, at the top, click on the ‘eye’ symbol to show hidden files. Open the ‘.icewm’ folder. Open ‘menu-applications’ by right clicking on it and clicking on ‘Edit as root’.

There is the list of applications shown in the Menu in different categories, in alphabetical order. Here too the scheme is as below;

prog “app-name-to-be-displayed” path-to-app-icon app-executable

Add this line under appropriate section.

prog “Application-name” application.png application

Save and close. Re-logon. Now your application will be in the Menu, under the section you added it.

User Settings

Desktop Background/Wallpaper

If you want to change the wallpaper/background on the desktop and add your own personal background, open ‘Rox filer as root’ from the Menu > Application > System. Go to /usr/share/wallpaper. It contains the default backgrounds. You can choose one among them. Or paste there any wallpaper you want and close it. Then to choose that as your desktop background do the following.

Menu > Control-center > Desktop > Choose wallpaper > In the box that opens > Select picture > Select your picture and open > Apply

Screen blanking

There is the screen blanking setting in antiX. The screen will go blank after your set number of minutes. Do as below to set it.

Menu > Control-center > Session > Set screen blanking > Slide to, say 10 minutes, and click Apply > OK > close the Control-center.

Ad blocking

If you want to block ads do the following.

Menu > Control-center > Network > Adblock > In the box that opens, click OK > In the box that opens, select some/all the options and click OK.

Sound problems

If there is no sound do the following.

Menu > Control-center > Hardware > Adjust mixer > In the box that opens, set as below;

An “MM” means muted, and “OO” means unmuted. Press ‘m’ key on the keyboard to mute/unmute. Note that a bar can be 100% full but still be muted, so do check for this.

See that the AlsaMixer box that has opened has the following settings.

Master – 00 & 100

Headphone – As much as you want.

Speaker – As much as you want.

Mic – MM & 00

Mic booster – 00

Mic booster – 00

S/PDIF – MM

Capture – 40<>40

Auto-Mut – Enabled

Internal – MM & O<>O

Internal – O<>O

Internal – O<>O

Loopback – Disabled

Pre-amp – 11<>11

Pre-amp – 11<>11

Exit from alsamixer with the Esc key.

User Accounts

To create a daily-use user-account do the following;

Menu > Control-center > Maintenance > User manager > In the box that opens go to;

Administration > Add any username and password.

Then go to Copy/sync tab. A file navigator box opens. Close it. In the section under Copy between desktops, your Administrator name and the newly created name is displayed. If you want to just copy whatever changes you have just done on the new system to the new user account select copy. If you want to keep synchronizing any changes you will make in the future too, select sync. Under ‘What to copy/sync’, select ‘Entire home’ to take every change made to the new user account. Apply and close. In the same window you can select/deselect groups, in the Groups management tab. Groups give or take privileges to users.

Restart. Your system is ready. This will get almost all the home users going. Best wishes with your new antiX system.

A word on Desktops

To keep the OS light, the antiX creaters have adopted the strategy of giving the users a ‘File Manager-Window Manager’ combination and a range of varieties also to suit the different liking of the users. You get several different such File managers and Window managers like; ROX filer, SpaceFM, file managers and IceWM, JWM, Fluxbox Window managers and their different combinations with just a click of the mouse. Menu > Desktop > Other desktops will take you to more than 20 options to choose from, to fit your inclinations. The SpaceFM file manager is available by default in Menu > Applications > System.

A word on Frugal install

Frugal install is an interesting option. It is the same like the Live USB but it is on your Hard Disk. It is secure than the regular install, because any changes made are not retained. If you restart the system, everything fresh as before. It is an interesting instance, worth trying.

You can find details of Frugal install in the antiX FAQ page and in the following threads.

The Philosophy behind my attachment with antiX

And in the posts of Olsztyn in the thread below;

How to create isolated, underprevileged but standard user accounts?

Changing to EXTLINUX/SYSLINUX as the bootloader for the frugal install is a very good setup. You can find the details of it in the below thread;

Booting antiX Frugal-only From HDD Without Any Full-Installed OS – with Extlinux

Take a look at these threads. They give a glimpse to the very interesting instance of antiX setup.